Páginas

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

AS CERVEJAS DO PAPAI

Domingo agora, 11 de agosto, será comemorado o dia dos pais. A origem e a data da comemoração diferem em muitos países. Nos Estados Unidos, por exemplo, o primeiro registro data do início do século 20. Foi organizado por Sonora Smart Dodd, em homenagem ao seu altruísta, corajoso e amoroso pai que a criou sozinha com mais cinco irmãos, deixado viúvo com a morte de sua esposa, falecida no parto de seu sexto filho. Em 1972 o presidente Nixon criou a observância permanente nacional do dia dos pais a ser realizado todo ano sempre no terceiro domingo do mês de junho.

No Brasil a comemoração foi importada por um publicitário, mas a data foi criada por um jornalista, o Roberto Marinho. Como o mês de agosto não possuía nenhuma data festiva poucos anunciantes publicavam no seu jornal O Globo. Então ele criou a data, a fim de aumentar as vendas do comércio e com isso gerar mais anúncios e faturamento para o seu jornal.

Comemorar a data bebendo boas cervejas será praticamente uma obrigação de todo apreciador que se preste, seja pai ou filho. Opções para todos os bolsos e gostos é o que não falta no nosso mercado, mas será que existem cervejas feitas especialmente para os nossos queridos e beberrões pais? Os americanos e os brasileiros respondem sim a essa pergunta.

Fonte: bibliokletp.org


A homenagem da cervejaria americana Rogue é a Dad’s Little Helper Black IPA. Do estilo American Black Ale/Black IPA sua receita leva quatro variedades de maltes e três tipos de lúpulos americanos. Originalmente era uma cerveja de outro estilo, uma Malt Liquor com quase 8% de teor alcoólico (imagem acima). Criada em 2007 ela atualmente está fora de produção talvez devido sua pouca popularidade. Já a versão Black IPA foi criada em 2011 e é uma das poucas americanas importadas para o Brasil:

Aparência marrom escuro, porém não fechada e com reflexos rubis. Espuma bege com formação média-baixa, boa retenção, aspecto fofo e cremoso – textura doce de pavê – que caiu lentamente deixando boas sujeiras nos lados. A lupulagem foi o primeiro plano do aroma. Notas resinosas de pinho, herbáceas de temperos, mato e um frutado mais subjacente. Floral perfumado. Boa presença maltada, com notas tostadas e amendoadas/amanteigadas. Conforme esquentou liberou um suculento aroma de chocolate. Gosto com amargor agressivo e duçlores frutados e maltados em segundo plano. Cítrico de laranja queimada/caramelizada, notas de caramelo e melaço, e um amadeirado (coco queimado e baunilha) residual. Toque de grãos de café e ameixas secas. Amargor persistente, porém mais amaciado no meio do gole até o fim, onde o resinoso de pinho e picante de gengibre foram evocados. Herbáceo de mato. Corpo baixo a médio, textura quase aguada. Carbonatação média. Final seco. Retrogosto amargoso de mato e com aspereza rascante persistente. Boa referência de Black Ale, mais gostosa que aromática.

Rogue Dad's Little Helper Black IPA - American Black Ale/Black IPA - 6,8% ABV


Partindo da base de uma cerveja que já existe, a brasileira Coruja resolveu dar uma recauchutada na sua cerveja Otus Lager. A parceria com o clube de cervejas Have a Nice Beer, resultou na Otus Double Hop. Essa versão recebeu outro tipo de fermento e ficou um pouco mais alcóolica (de 4,5 para 5,5% ABV), também recebeu mais lúpulo de amargor (de 15 para 30 IBU), recebeu dry-hopping do lúpulo americano Cascade e foi filtrada. Sua distribuição é restrita aos assinantes do clube cervejeiro.

Não resisti e resolvi fazer uma comparação entre as versões “normal” e “mais lupulada”, conforme impressões abaixo:

OTUS LAGER
Aparência dourada e límpida, com uma leve turbidez e grande quantidade de borbulhas subindo. Espuma branca de criação baixa, borbulhante e de manutenção fugaz, efêmera, que terminou com fina película. Aroma trouxe notas de maltes, com boa presença doce de mel – o maior destaque – grãos, pão branco e finalizando com leve diacetil/amanteigado. A lupulagem foi baixa, apenas evocando leve floral e um complementar frutado (frutas amarelas e casca de banana), talvez da fermentação (ésteres). Gosto começou evocando o dulçor de mel bem latente e persistente no gole. Seguiu com notas maltadas como toques de cereais, grãos e pão branco. Baixo amargor. Leve acidez e leve éster de banana denotam o toque da fermentação no conjunto. Corpo baixo e leve. Carbonatação alta e crocante. Fim médio seco. Retrogosto limpo e com leve dulçor perdurando. Fácil de beber e saborosa, puxando para o equilibrado dulçor de mel.

Coruja Otus Lager - Premium American Lager - 4,5% ABV



OTUS DOUBLE HOP
Aparência dourada, límpida – sem nenhuma poeira – e com bolhas em subida. Espuma de criação baixa-média, média retenção, aspecto fofo e aerado, que caiu e sujou um pouco os lados, ficando com um dedo de tamanho. Aroma de início não evocou o mel tão proeminente na versão de linha. Mas uma lupulagem com mediano destaque, contida, com algumas notas frutadas e florais que cresceram com o esquentar da bebida. Senti toques de cereais, pão branco e aquele amanteigado de diacetil tão comum. No gosto também sobressaiu em primeiro plano a lupulagem, com notas frutadas e traços herbáceos. Seguiu com o gosto dos maltes, notas de cereais, grãos e pão. Amargor um pouco mais destacado que na versão normal e até com certa persistência. Ésteres das leveduras ainda presentes, na acidez e no frutado de casca de banana. Corpo baixo e leve. Carbonatação não tão agressiva, média a quase alta. Fim seco. Retrogosto um pouco amargo, áspero e adstringente. Versão melhorada que a de linha, com lupulagem mais destacada.

Coruja Otus Double Hop - Premium American Lager - 5,5% ABV


Desejo a todos um feliz dia dos pais. Que brindem a data com eles ou a eles – para aqueles que já estão falecidos – especialmente com uma boa cerveja. E se for bem lupulada, melhor ainda! Saúde!

Designer: Jeff Matz

Nenhum comentário:

Postar um comentário