Páginas

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

MICHAEL JACKSON, O REI DA CERVEJA

A fim de não deixar a data passar em branco resolvi falar um pouco sobre uma das personalidades mais importantes do meio cervejeiro, infelizmente já falecida. Hoje, dia 30 de agosto, faz seis anos que Michael Jackson morreu.



O homônimo do famoso cantor pop foi conhecido por ter sido o maior conhecedor de bebidas a base de malte do mundo, e nisto você pode incluir as cervejas e os uísques. É autor de vários livros sobre estas bebidas, alguns traduzidos para o português, e ficou famoso como apresentador de uma série no canal a cabo Discovery. O programa The Beer Hunter gerou a sua famosa alcunha de “o caçador de cervejas”. Michael Jackson também foi o responsável por categorizar muitas das cervejas que hoje temos catalogadas, as organizando em famílias e estilos, inclusive salvando muitas da extinção. O Brasil não passou ileso na sua caçada e a Cervejaria Colorado teve suas cervejas degustadas em sua visita ao país. Um autógrafo do autor, elogiando o belo trabalho do Marcelo Carneiro no comando da Colorado, pode ser visto no quadro pendurado na parede da forneria Melograno, em São Paulo.

O primeiro livro dele que li foi o Great Beer Guide (editora Dorling Kindersley), ainda sem tradução no Brasil. O livro faz um apanhado de 500 cervejas do mundo todo, selecionadas pelo autor, trazendo análises individuais acompanhadas de fotos das respectivas garrafas e copos, tornando a leitura rica visualmente. Ao final do livro um guia é apresentado com assuntos diversos: como servir a cerveja no seu respectivo copo, como analisar sensorialmente sua bebida, um léxico e glossário sobre os termos cervejeiros, uma discussão sobre o melhor momento de degusta-la e ainda sobre seu acompanhamento com pratos e sendo usada como ingrediente na culinária.



Minha forma de homenagear “o caçador de cervejas” foi degustando alguma cerveja citada no livro. Selecionei a primeira que eu possuía no meu estoque. Como as cervejas são analisadas em ordem alfabética de Aass Bock a Zirndorfer Landbier Hell, sobrou para a americana Alaskan Smoked Porter ser a escolhida. A sétima cerveja citada no livro foi a primeira que eu tinha disponível. A escolha veio bem a calhar, pois Michael Jackson foi muito influente na popularização da cultura cervejeira e no surgimento de novas microcervejarias nos Estados Unidos.

A Alaskan Smoked Porter foi a cerveja inaugural do estilo de cervejas-defumadas nos Estados Unidos. Tem uma produção anual limitada e ao contrário de muitas cervejas, tem a guarda recomendada, evoluindo com o tempo e com sua mudança comprovada por até 15 anos. Muito premiada dentro do país em festivais como o Great American Beer Festival, também já ganhou prêmios internacionais como, por exemplo, no World Beer Cup. Sua receita leva duas variedades de lúpulos, cinco tipos de maltes, não é usado nenhum tipo de adjunto ou conservante e ela não sofre pasteurização. Maltes selecionados são defumados em pequenas quantidades, sobre cuidadoso controle numa defumaria alimentícia local, que faz a defumação usando a madeira da região proveniente de árvores de amieiro.

Ao invés de postar minha análise sobre a bebida, o que faria comumente, resolvi transcrever a análise do livro escrita pelo próprio Michael Jackson e já traduzida para o português:

Alaskan Smoked Porter - Smoked Porter - 6,5% ABV
Inspirados primeiramente a reviver uma Altbier do Alasca, Geoff e Marcy Larson introduziram outra cerveja híbrida em 1988. Esta criação, um estilo completamente novo de receita, ganhou reputação mundial entre os amantes de cerveja, e foi muito imitado nos EUA. É uma cerveja defumada como aquelas de Bamberg, Alemanha, mas não na forma de uma Lager. Em vez disso, ela tem mais lupulagem e notas de fermentação de uma Porter inglesa. A microcervejaria fica em frente a uma defumaria de peixes onde o malte é defumado sobre amieiro. A Smoked Porter é muito rica e complexa. Começa oleosa, com sugestões de chocolate muito amargo e frutas queimadas, então parece explodir com muita defumação.





Quem quiser conhecer mais sobre o belo legado deixado por Michael Jackson, além de seus livros e videos que podem ser vistos no You Tube, recomendo o documentário The Beer Hunter, The Movie. A edição especial em DVD vem com cenas estendidas, erros de filmagem, extras e entrevistas. Os rendimentos da obra são revertidos para a pesquisa de Parkinson - Michael Jackson morreu em decorrência das complicações neurológicas provenientes da doença.

Brindemos ao Rei, saúde!

Nenhum comentário:

Postar um comentário