Páginas

terça-feira, 30 de setembro de 2014

CIOCCOLATO – A mais nova ousadia da Cervejaria Noi



A Cervejaria Noi é a primeira artesanal registrada de Niterói. Iniciou em 2011 quando era distribuída apenas em chope. Passou a ser engarrafada em 2012 e ano passado começou a participar de concursos cervejeiros em festivais. Ganhou medalhas, reconhecimento e hoje tem uma abrangência maior. Sempre sob o comando do Gilmar Gutbrodt – mestre cervejeiro gaúcho que trabalhou por muito tempo na Brahma e depois Dado Bier – a cervejaria atualmente conta também com a ajuda do Guilherme, paranaense formado no Centro de Tecnologia SENAI Alimentos e Bebidas, de Vassouras. Leonardo Botto – o primeiro ganhador do Concurso Mestre Cervejeiro da Eisenbahn e um dos proprietários do Botto Bar – também foi importante na construção da marca ao criar algumas receitas para a cervejaria. Sua última contribuição foi com a Noi Amara, cerveja do estilo imperial IPA. Outras novidades já estão sendo elaboradas por ele. Hoje a cervejaria deu um salto de 180 graus, está em processo de ampliação da fábrica e até possui uma pequena cozinha de brassagem, a fim de testar receitas futuras em pequena escala. A apresentação das garrafas foi alterada, agora tem tampinha identificada e todos os rótulos foram repaginados. A cervejaria também trabalha apoiando eventos esportivos, principalmente campeonatos de surfe. E a criação de novos rótulos sempre estará nos planos da cervejaria.



O último sábado foi o dia escolhido para o evento de lançamento da mais nova ousadia da marca. Mas antes da apresentação do novo rótulo, Osmar Buzin – um dos sócios da Noi – falou um pouco aos presentes sobre a história e curiosidades acerca da cervejaria. Em seguida, a cargo do sommelier de cervejas José Raimundo Padilha, foi feita uma degustação das cervejas harmonizadas com pratos criados pelo chef Fernando, que comanda o restaurante da casa.

O início da harmonização foi com a cerveja Bionda Oro e pastéis de queijo minas. A premium american lager entrou como um corte frente à fritura do pastel. Depois foi servida a Bianca com ceviche de peixe branco com camarão. A baixa acidez da cerveja de trigo serviu como substituta ao limão onde este casaria com a maresia dos frutos do mar. Como acompanhamento ainda serviram torradas de malte feitas com o bagaço resultante da brassagem da cerveja nova. A torrada acabou retornando várias e várias vezes à mesa, devido ao sucesso que fez entre os convidados.

Mini pastel de queijo Minas com Noi Bionda Oro - premium american lager - 4,5% ABV

Ceviche de peixe branco com camarão e torrada de malte com Noi Bianca - hefeweissbier - 4,9% ABV


Risoto e cogumelos exóticos (portobello, shimeji, etc...) e filetino de mignon fizeram par com a Rossa, cerveja do estilo Irish red ale. Os maltes tostados agregam cor e sabor de caramelo à cerveja, onde dulçor e amargor casaram com a carne. Infelizmente não desfrutei tanto do prato, pois sou alérgico a cogumelos. A Nera, uma schwarzbier, foi servida com coxinha de asa recheada ao creme de gorgonzola. A apresentação foi interessante visualmente, o prato lembrou uma patinha de caranguejo, mas que era uma coxinha, e da asa do frango (?!) saborizada de carne. Ficou bacana a harmonização, principalmente pela escolha do gorgonzola, que combina com cervejas a base de maltes torrados. A Amara foi apresentada com mini burger ao creme de alho. A cerveja acabou por engolir um pouco o prato, mas é até compreensível vide seu alto teor alcoólico e alta lupulagem.

Risoto e cogumelos exóticos e filetino de mignon com Noi Rossa - Irish red ale - 5,8% ABV

Coxinha de asa recheada ao creme gorgonzola e Noi Nera - schwarzbier - 5% ABV

Mini burger ao creme de alho com Noi Amara - imperial IPA - 10,5% ABV


Antes da estrela da noite ser servida foi repassado aos presentes um pouco sobre sua história. Ela começou nas panelas do cervejeiro caseiro Cazé Napier. Sua russian imperial stout Blackout Stout foi a campeã do estilo livre no concurso realizado pela ACervA Carioca em2012. A cerveja chamou a atenção do Leonardo Stefanini – um dos sócios da Noi – já que é um apreciador do estilo. A Noi comprou do Cazé os direitos do uso da receita e começou seu processo de registro e produção já faz nove meses. Além da burocracia para registrar a cerveja, o processo de transição da receita da panela para a fábrica foi feito com parcimônia, vide que nem sempre é fácil a adaptação.



A mais nova ousadia da Cervejaria Noi é a Cioccolato: uma Russian imperial stout com oito variedades de maltes (três cereais: cevada, aveia e trigo), lúpulos Chinook e Fuggles, cacau em pó e em nibs, baunilha em fava e ainda chips de carvalho francês embebidos em uísque. O fermento de origem americana foi para gerar teor alcoólico elevado (12% ABV) e ajudar na floculação. E mais nibs de cacau na fase fria foram adicionados para o aroma. Demorou dois meses e meio para ficar pronta e rendeu quase dois mil litros. O primeiro lote será apenas engarrafado e um segundo já está sendo providenciado (que também estará disponível em chope) para ser lançado em dezembro, para as festividades do Natal. Seu amadeirado destacado já foi corrigido para esse segundo lote, com a quantidade de chips reduzida pela metade. A ideia é que a cerveja seja sempre lançada sazonalmente em edições limitadas.

Ela foi servida com as mini sobremesas: cobbler de frutas e ganache de noz pecan. O dulçor da sobremesa resgatou o chocolate que na Cioccolato ficou um pouco encoberto por causa do amadeirado, resultando numa harmonização perfeita. Se a cerveja apresentasse muito chocolate, a combinação tenderia a ficar enjoativa. Portanto pontos pra a harmonização!

Cobbler de frutas e ganache de noz pecan e Noi Cioccolato - Russian imperial stout/wood and barrel aged strong beer - 12% ABV
Cor negra. Espuma de cor bege e compacta. Aroma bem amadeirado e com notas que remetem ao carvalho (coco queimado e baunilha). Sabor similar e ainda defumado, notas de café e dulçor residual (chocolate). Sensação adstringente, corpo alto e álcool presente. Final longo e de chocolate amargo.


Ao final todos os convidados ainda foram agraciados com uma garrafa da Noi Cioccolato e um abridor da marca. Fica aqui registrado o meu agradecimento pelo convite e os parabéns a todos os envolvidos pela organização do evento.


Nenhum comentário:

Postar um comentário