Páginas

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

DOUBLE PERIGOSA WOOD AGED – A obra-prima da Bodebrown

No mês de setembro a curitibana Bodebrown lançou a série de cervejas Wood Aged Series. A ideia é lançar rótulos de linha em versões envelhecidas em barris de madeira que antes foram usados para acondicionar outras bebidas. A cerveja que inaugurou a série foi a Double Perigosa Wood Aged Series Cabernet Sauvignon 2014. Vendida em edição limitada de quase três mil garrafas numeradas, ela esgotou em apenas uma semana de pré-venda na loja virtual da cervejaria. Ela é a base da cerveja Double Perigosa Imperial IPA, que na versão envelhecida em madeira fica por nove meses em barris de carvalho francês, antes usados para acondicionar vinhos Cabernet Sauvignon da Serra Gaúcha. A cervejaria recomenda beber uma garrafa agora, guardar outras unidades a temperaturas de 12º C e verificar sua evolução daqui a cinco, dez anos. A segunda cerveja da série já foi anunciada, é a Wee Heavy Wood Aged Series – envelhecida em dornas de amburana da cachaça Weber Haus. Sua pré-venda ainda não esgotou, portanto os interessados ainda podem adquirir no site da cervejaria.



Algumas pessoas que já beberam a Double Perigosa Wood Aged criticaram que ela estaria doce demais e questionaram se daqui alguns anos o seu dulçor estaria mais arredondado. Teoricamente, com o tempo a doçura estaria mais perceptível que agora. A lupulagem declinaria ou ficaria ausente e sem o amargor para contrabalancear ou amenizar a sensação de doçura. Por outro lado, uma possibilidade é que com a refermentação e a concentração de açúcares fermentescíveis na garrafa, ela poderia ficar mais seca e com menos corpo, e essa sensação de doçura excessiva poderia diminuir. Com o tempo ela ganharia não apenas em complexidade, mas uma série de fatores e a temperatura de armazenamento poderiam influenciar nela virar outra cerveja – ou até mesmo ficar aparentemente menos doce.

Sugestionados pelo nome do rótulo, algumas pessoas esperam encontrar nessa cerveja as mesmas características da Perigosa Imperial IPA – conhecida por ser muito amarga e com uma proposta para ser bebida fresca. Esquecem que a base da Wood Aged é a Double Perigosa Imperial IPA – que é produzida com a base da Perigosa, mas com quatro meses de fermentação. O resultado é a cerveja mais alcoólica da Bodebrown (e do Brasil), com 15,1% ABV – a Perigosa tem 9,1% ABV. A cerveja, que era do estilo imperial IPA, acaba ficando mais semelhante a uma American barleywine.

Outro problema é que, enquanto a Perigosa é uma das cervejas mais populares da Bodebrown, a maior parte do público brasileiro ainda não foi apresentado a Double Perigosa – suas edições ficaram restritas a poucos pontos de venda e festivais de cerveja. Eu mesmo ainda não provei e nunca vi vendendo. É um pouco frustrante experimentar a versão envelhecida em madeira antes de provar a versão normal e com isso perder o grau comparativo.

Bebi uma Double Perigosa Wood Aged na semana passada. Deixei demais exemplares para serem consumidos mais pra frente  a ideia é seguir a recomendação e guardar por cinco, dez anos. Ela é doce sim, mas muito complexa. Já faz parte da lista das melhores artesanais brasileiras que bebi e a considero como a melhor cerveja feita pela Bodebrown. É a sua obra-prima. Percebi nela traços da Bamberg Biertruppe Vintage nº 1 e da Dogfish Head 120 Minute IPA. Abaixo segue a minha análise sensorial:

Bodebrown Double Perigosa Wood Aged Series Cabernet Sauvignon 2014 - wood and barrel aged Strong beer - 15,1% ABV
Cor castanha e fechada. Espuma 
fugaz. Aroma doce definitivo. Notas de frutas desidratadas e sementes secas (castanhas, amêndoas, ameixa, uva passa, figo). Dulçor encontrado pelo salgado (umami?). Seguiu com notas de chocolate, caramelo, toffee, melaço, rapadura... Oxidação de leve mofo. Madeira e queimado. Esquentou, veio coco queimado e uvas/geleia. Álcool imperceptível. Complexa. Sabor similar. Frutado intenso (passas, figo seco e geleia). Meio do gole salgado, mas dulçor/maltado ditador. Amadeirado sem intensidade. Doce – salgada – doce. Corpo alto e licoroso. Carbonatação média-alta, poderia ser menor. Sensação alcoólica, apimentada e acalentadora, mas agradável. Final longo e doce. Retrogosto frutado.


É interessante verificar a evolução da legislação brasileira ao permitir o registro dos rótulos da série Wood Aged Series. Até pouco tempo atrás era inviável imaginar que cervejas com essas características – envelhecimento em barris de madeira e vencimento prolongado – pudessem ser aprovadas no Brasil. Ainda mais se pensarmos que bastava usar a alcunha “vintage” no rótulo para que a burocracia se instaurasse. Fica até a esperança e torcida para que outro rótulo da Bodebrown, a Imperial Milk Stout, tenha seu registro também autorizado e possa ser lançada no futuro – a cerveja recebe adição de lactose e o uso de insumos de origem animal em cervejas é proibido pela legislação.

Para aqueles que não conseguiram comprar a Double Perigosa Wood Aged Series Cabernet Sauvignon 2014, não se desesperem. Ela estará disponível no Mondial de La Bière Rio – que começa amanhã e vai até domingo. Abaixo segue a lista completa que a Bodebrown divulgou do que vai levar para o festival. Cervejas de linha, muita exclusividade e raridades: 




Um comentário:

  1. Maravilha de apresentação ! Parabéns . Sempre profissa! Valeu é no Mondial vamos tomar as duas Double! Além
    De degustar as 5 wee heavy da comemoração de 5 anos! Wee heavy tradicional/ Amburana/ Bourbon/ Distiller e French oak! Saúde amigo!

    ResponderExcluir