Páginas

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

BAMBERG 9 ANOS – A Alemanha é aqui!

Esse ano eu concluí o curso de Mestre em Estilos promovido pelo Instituto da Cerveja Brasil. A escola cervejeira que caiu na minha banca de estudos foi a Escola Alemã. Provar seus variados estilos ao estudar para a prova, fez com que eu respeitasse ainda mais todo o tradicionalismo que envolve a cena cervejeira do país. E a vontade em experimentar essas cervejas diretamente na fonte só aumentou graças ao aprendizado. Infelizmente no momento não dá para beber uma autêntica kölsch na Colônia, uma altbier em Düsseldorf ou uma helles em Munique. Mas é possível beber esses e demais estilos na fonte da Bamberg. Não me refiro à cidade alemã, mas à Cervejaria Bamberg, a Francônia Brasileira.

Fachada da Cervejaria Bamberg
foto: Alexandre Bazzo


A artesanal brasileira mais alemã que existe fica localizada na cidade de Votorantim/SP. Conhecida por seguir a Reinheitsgebot (Lei de Pureza da Cerveja), a cervejaria é a recordista brasileira com mais rótulos em premiações internacionais, que somadas aos prêmios nacionais, totalizam em quase cem. Atualmente são produzidos mais de vinte rótulos, dentre cervejas de linha, feitas em homenagem a bandas de rock e as edições sazonais. No último domingo foi comemorado o aniversário de nove anos da cervejaria. A festa foi marcada pelos excessos. Excesso de comida (costela no chão, barriga de porco à pururuca e acompanhamentos) e de bebida (das torneiras das chopeiras jorraram ao todo 18 chopes liberados). A festa ainda terminou com a apresentação da banda Raimundos.

Cerveja Bamberg Raimundos Helles no copo e banda Raimundos no palco


Comemorada dentro da própria cervejaria, a festa recebeu 300 pessoas no total. Durante o show o galpão foi transformado em um verdadeiro show de rock. Várias pessoas “pogando” e pulando com suas canecas do tipo Mass, onde banhos de cervejas eram comuns, mas sem a ocorrência de maiores acidentes. Foram servidas todas as cervejas de linha, as cervejas das bandas e algumas sazonais. A cerveja Sepultura Ale estreou na festa. O segundo rótulo feito para a banda é uma homenagem aos seus 30 anos de carreira. A cerveja não tem um estilo definido. Segundo Alexandre Bazzo mestre-cervejeiro e um dos sócios da cervejaria –, ela fica entre uma kölsh e uma altbierTambém foi servida na festa a Tripel do Alexandre Lewis Xerxenevskycerveja que ganhou o concurso de cervejas caseiras realizado em parceria entre a cervejaria e a ACervA Paulista – mostrando que o estilo belga também frequenta os tanques da Bamberg.

Alexandre Bazzo


As cervejas servidas na festa estavam boas e muitas mereceram repeteco. A minha preferida foi a St. Michael, servida sem gás e em temperatura ambiente. Apreciei sua mistura de notas tradicionais de uma weizenbock, mais o amadeirado, os taninos e a acidez de vinho tinto, sua alta secura, além de leves toques de leveduras selvagens, que trazem semelhanças com uma sour ale.

Bamberg St. Michael


A festa de 10 anos da Cervejaria Bamberg já tem data marcada. Será realizada no dia 06/12/2015, às 10h. O esforço dos organizadores será em realizar uma edição tão boa quanto foi a festa de 9 anos. Se for igual, já será garantia de sucesso. Até lá!

Nenhum comentário:

Postar um comentário