Páginas

quinta-feira, 26 de junho de 2014

SANTIAGO AMIGO – Parte 1



Passei uma semana na cidade de Santiago. Mal retornei pra casa e já saudosista estou de suas belezas naturais, boa gastronomia e cultural rica. A capital chilena é hospitaleira, o povo é gentil e a mesma é convidativa no quesito preço. E a cerveja? A intenção da postagem é justamente falar dela, do que lá bebi e conheci.

Na chegada à capital e após acomodação no apart hotel localizado no bairro Providencia, fui conhecer um pouco a região. Ao fim da noite suas ruas são mais desertas – Santiago não tem uma movimentada vida noturna, como a boêmia Buenos Aires, por exemplo. Mas têm opções de bares e restaurantes abertos até um pouco mais tarde.

A primeira cerveja consumida na viagem foi no Rey Toro Restobar. O bar lembra um pub simples, com vertentes do rock tocando e petiscos servidos em porções generosas.  É uma boa opção para ir com grupo e que também possui uma filial no bairro de Ñuñoa. A maioria das cervejas servidas são as marcas populares, algumas estrangeiras e artesanais. E serviam alguns rótulos da Kross.

A Cervecería Kross é uma das maiores artesanais chilenas e a mais premiada internacionalmente. Três anos atrás eles fizeram sociedade com a maior vinícola do país, a Concha y Toro. Em 2013 comemorou dez anos de vida e fechou o ano com uma produção de dois milhões de litros. Os planos da marca são de continuar crescendo, melhorar a cobertura em algumas regiões e exportar seus produtos para o mercado internacional. Suas cervejas são fáceis de serem encontradas em bares e supermercados da região.

A Golden faz parte do portfólio de linha da Kross e é a cerveja mais vendida deles. Do estilo english pale ale ela apresenta cor dourada, aroma frutado, terroso e caramelado. O sabor segue o aroma, apresenta um amargor médio e satisfatório, terminando seca e limpa.

Kross Golden - english pale ale - 5,3% ABV


Quando fizeram cinco anos de vida a cervejaria lançou uma edição comemorativa. A Kross 5 foi a primeira cerveja chilena que recebeu maturação em madeira, no caso, chips da variedade tostada americana. Com oito tipos de malte e cinco variedades de lúpulo, ela foi lançada para ser uma edição limitada. Mas agradou tanto o público que entrou na linha de cervejas especiais e agora é lançada sazonalmente todos os anos. Ela possui tom caramelado e espuma estável. Aroma e sabor amadeirado (coco, baunilha). Notas de malte, caramelo, amargor médio a alto e corpo médio. O final é seco e alcoólico. Uma cerveja forte que traz semelhanças com um Bourbon.

Kross 5 - wood and barrel aged - 7,2% ABV



Esse foi o relato do primeiro dia de viagem. Nas próximas postagens continuarei falando das cervejas chilenas que experimentei em Santiago e de demais atrações que a cidade me apresentou. Até lá!

quarta-feira, 4 de junho de 2014

MEU BUENOS AIRES QUERIDO, MUITO ALÉM DE QUILMES - Parte 2

Cervezas tiradas para llevar
Após visitar ano passado a cidade de Buenos Aires, muitos amigos agora me pedem dicas de points cervejeiros para conhecer na capital argentina. Vários lugares, dentre empórios a brew pubs, são recomendados. Porém o local mais surpreendente, que infelizmente só fui conhecer no último dia de viagem, horas antes de retornar ao Brasil, foi o Pinta Point.

Ele é localizado na rua Hipólito Yriogoyen 2201, próximo a Plaza 1 de Mayo (mesma rua onde fica localizada a Universidade e a Associação das Mães da Praça de Maio). Lá vendem boa variedade de cervejas artesanais engarrafadas e com preços mais baratos, por exemplo, que o famoso Cervelar – outro point cervejeiro muito famoso que também vale uma visita. Também vendem embutidos para viagem, mas o destaque ali são as várias torneiras de chopes (as tiradas, como eles chamam). Na vez em que fui estavam com variados estilos das cervejarias Una Mas e Grunge Brewing Company. Mas o mais curioso é que essas tiradas não são para serem consumidos no local, mas para serem bebidos fora de lá, em casa, por exemplo.

Concebido como um bar/empório onde você compra os produtos, mas não os consome ali – nem cadeiras ou mesas eles possuem no estabelecimento – a ideia é comprar e levar para consumir em outro local de sua preferência. E de imediato, caso queira, pois as bebidas são vendidas já frias, a sua maioria. As tiradas são envasadas em garrafas de plástico, igual de água mineral, na opção 500 ml ou 1 litro. A própria máquina preenche a garrafa com a cerveja escolhida e a veda com tampa de plástico. O vencimento da cerveja é garantido por até sete dias se mantida refrigerada e 24 horas após aberta, segundo o rótulo.

Grande variedade de tiradas, de Oktoberfest a Barleywine



Como mencionei só consegui conhecer o local no último dia de viagem e só adquiri duas garrafas. Após conversar rapidamente com o proprietário Alex Vinokurov – que teceu elogios ao Brasil, já visitado por ele algumas vezes – uma das que escolhi para levar foi a Grunge Black Mamba. Ela acabou sendo consumida na rua mesmo, no caminho de volta para o albergue. É uma foreign extra stout muito saborosa e umas das melhores cervejas que provei em BsAs (infelizmente perdi as anotações sensoriais dela). Ela ganhou medalha de ouro no South Beer Cup do ano passado (categoria stout) e bronze este ano (categoria irish & foreign style stout). A outra que levei foi a Una Mas Imperial Stout, degustada na área de alimentação do aeroporto mesmo. Também outra boa cerveja, mas um pouco desequilibrada no dulçor, pelo que me recordo.


Grunge Black Mamba - Foreign Extra Stout - 7,5% ABV

Una Mas Imperial Stout - Imperial Stout - 10% ABV


Quando visitei o Pinta Point em setembro ele tinha pouco mais de três meses de vida. Atualmente contam com mais duas lojas, localizadas nos bairros de Palermo e La Plata. Ambas seguem o mesmo tipo de atendimento e serviço da sede.

Vale citar que nesse dia também conheci um tradicional café de BsAs, o Los 36 Billares. O local estava vazio pela manhã, mas à noite costuma ser mais frequentado graças as apresentações de tango. Aos fundos fica seu famoso salão com mesas de bilhar e as opções servidas para o café da manhã têm um bom preço e também são muito saborosas. Recomendo.


Fachada do Los 36 Billares
Café y tostado mixto no Los 36 Billares


Esse meu passeio à Argentina rendeu uma publicação no blog sobre o primeiro dia de viagem em Buenos Aires. A ideia era relatar os demais dias divididos em postagens. Após um longo hiato retorno ao assunto. Pretendo dar continuidade falando sobre como foram os demais dias na capital argentina e com mais dicas de locais que também valem a pena serem visitados. Acompanhem!



segunda-feira, 2 de junho de 2014

VIAGENS CERVEJEIRAS PELO BRASIL

Algumas viagens cervejeiras por cidades brasileiras já podem ser observadas nesse segundo semestre de 2014. Promovidas por sommeliers de cervejas e profissionais da área, são elas:



As cervejarias artesanais de Ribeirão Preto receberão a primeira edição do Tour Cervejeiro no dia 21 de junho. O passeio será organizado pela Bia Amorim, sommelière, professora e empresária cervejeira, e a relações públicas Carla Valentim, que já trabalhou no marketing da Cervejaria Colorado. E a Colorado será a primeira cervejaria visitada, às 11h, com direito a degustação e visitação à loja. Depois seguem às 13h para a Cervejaria Invicta, onde será servido almoço com direito a um chope incluso. Duas horas depois, às 15h, vão até a Cervejaria Lund onde ocorrerá outra degustação de suas cervejas e finalizam às 16h30 no happy hour do Cervejarium, o bar da Colorado.

O transporte com seguro está incluso no pacote e os pontos de encontro serão no centro e zona sul de Ribeirão Preto. O valor do investimento é de R$ 200,00 e com disponibilidade de 14 vagas. Também existe a opção de itinerário saindo de São Paulo e grupos fechados têm desconto no valor. A ideia é realizarem a tour regularmente onde as futuras datas serão divulgadas mais pra frente. Maiores informações podem ser prestadas pelo e-mail ribeirao@tourcervejeiro.com.br e pela página no facebook: http://www.facebook.com/TourCervejeiro.



Pela segunda vez o sommelier, consultor e palestrante de cervejas, Gustavo Renha, vem organizar sua excursão interestadual até a cidade mineira de Belo Horizonte. São dois dias de passeio, 02 e 03 de agosto. A partida é pela manhã da cidade de Niterói seguida de uma breve parada no aeroporto Santos Dumont para pegar os passageiros cariocas. O ônibus de viagem tem ar condicionado, banheiro, DVD e durante o traslado vai ocorrer um bate papo cervejeiro e serão sorteados alguns brindes. Além do transporte a hospedagem também está inclusa na opção quarto duplo ou single.

A primeira visitação será até a Falke Bier, com recepção do Marco Falcone. Além da visitação à fábrica, serão degustados todos os rótulos da cervejaria harmonizados com queijos variados. Após um breve descanso no hotel o próximo ponto será o Adriano, Imperador da Cerveja. Os presentes receberão um chope por conta da casa que recentemente foi laureada pela revista Veja BH como o melhor chope de Belo Horizonte.

No segundo dia do passeio a primeira visitação será até a loja de cervejas Mamãe Bebidas, que oferecerá degustação de uma cerveja e desconto na compra dos seus produtos. Daí seguem para o restaurante Seu Romão, onde também serão recebidos com um chope por conta da casa. Em seguida fecham o passeio com visitação a duas cervejarias, Taberna do Vale e Küd Bier, onde serão recepcionados pelos proprietários-cervejeiros, respectivamente Felipe Viergas e Bruno Parreiras, além de degustação de um chope. 

O investimento é de R$ 800,00 para o quarto duplo ou R$ 850,00 no quarto single. Os valores podem ser parcelados em até 4 vezes sem juros. Para maiores informações basta entrar em contato pelo e-mail gustavorenha@gmail.com ou pelo facebook: https://www.facebook.com/sommeliergustavorenha