Páginas

quinta-feira, 31 de março de 2016

CERVEJEIRO NA COZINHA 6 — Risotto de Linguiça Blumenau, harmonizado com Eisenbahn Flecheira Irish Red Ale

Voltei de Blumenau com o 3º lugar no concurso Mestre Cervejeiro Eisenbahn, uma caixa da Irish Red Ale campeã (a Flecheira, do Leandro Marques), histórias pra contar do Festival Brasileiro da Cerveja, alguns exemplares da deliciosa Linguiça Blumenau e muita vontade de cozinhar!

A receita base para todos os risottos pode ser a mesma. Existem diversas, a que mais uso é a que segue abaixo.

Ingredientes:
1kg de arroz Arbóreo ou Carnaroli
1 garrafa de vinho branco seco
1 cebola média picada (tipo brunoise)
30ml de azeite



Refogue a cebola no azeite em fogo alto. Adicione o arroz e refogue. Adicione o vinho em 3 etapas (1/4, 1/4 e 1/2 garrafa), deixando secar um pouco após as 2 primeiras.

Para saber o ponto, quebre um grão de arroz. Ele deve estar ligeiramente cozido, porém quebradiço no interior.

Espalhe a base em um recipiente para que esfrie e pare o cozimento. Após esfriar, a base pode ser separada e congelada. Mas se for usar de imediato, não tem a necessidade desta etapa.

Dica: Para descongelar a base, deixe 24h na geladeira. O descongelamento lento garante que o grão fique inteiro ao finalizar as receitas.

A receita base e um pouco da história do risotto estão na página que eu acabei de reativar. Lá vocês podem encontrar também algumas outras receitas de risottos: https://www.facebook.com/NoelGourmet

Voltando ao risotto. Para o “recheio”, usei:
1 Linguiça Blumenau
2 dentes de alho
150ml de cerveja
10 tomates cereja
Um punhado de salsa picada
Sal e pimenta a gosto

Coloque um fio de azeite em uma frigideira quente e doure o alho. Adicione 1/3 da salsa e então a linguiça, sem a pele e cortada em cubos pequenos.

Frite a linguiça em fogo alto por uns 5 minutos e então adicione os tomates. Coloque a cerveja, deglaceando a frigideira, e deixe reduzir. Acerte o sal, a pimenta e reserve.





O cozimento do arroz deve continuar idealmente com caldo de legumes, mas é possível usar água também. Coloque a proporção de 2 volumes de caldo para um de arroz. Para dar um pouco mais de cor e sabor ao arroz, coloquei um pouco de açafrão nesta etapa.

Mexer sem parar é fundamental para o risotto ficar cremoso. Mantenha o fogo alto até começar a ferver e encorpar. Adicione mais caldo sempre que estiver secando. Essa etapa vai durar uns 15 minutos.



Agora os grãos já devem estar praticamente cozidos, experimente um e veja de está al dente.

Coloque o recheio e continue mexendo até que os grãos estejam completamente cozidos e então desligue o fogo. A consistência do risotto deve ser cremosa, mas neste ponto ainda um pouco mais fluido que o ideal, para servir.



Para finalizar, adicione um a um, homogeneizando em seguida, os seguintes ingredientes:
50g de manteiga
50g de queijo parmesão ralado
50g de Mascarpone

Acerte o sal e sirva imediatamente.

A consistência agora já é menos fluida. Como referência, ao dar uma "colherada" no risoto ele deve ficar na colher após escorrer um pouco. Se ficar muito pouco na colher está muito mole, volte ao fogo. Se não escorrer nada, estará muito seco, adicione um pouco mais de caldo e volte ao fogo.

A harmonização ficou por conta da Eisenbahn Flecheira Irish Red Ale, a campeã do concurso Mestre Cervejeiro Eisenbahn



Os sabores se completaram bem e a leveza da cerveja fez um contraste muito bacana com a untuosidade do risotto.

Um brinde e bon appétit!

---

Postagem e fotos:
LEANDRO NOEL
Cervejeiro caseiro e amante da culinária

domingo, 27 de março de 2016

RABISCOS DE PREÁ — Confissão

O rabisco de hoje tem o título "Confissão". Foi escrito no dia 21 de dezembro de 2014, um domingo.






Para ver os demais trabalhos de Rabiscos de Preá, é só clicar na sua página do Facebook.

---

Autor:
EDUARDO FREITAS (PREÁ)
Degustador, Sommelier de Cervejas, Mestre em Ciências Sociais e petulante ao ponto de publicar as coisas que rabisca.

quinta-feira, 24 de março de 2016

BROWNIE ALE — Parceria entre Three Monkeys e Brownie do Luiz é retomada esse ano

Um dos brownies mais famosos do Rio de Janeiro, o Brownie do Luiz, fez uma parceria ano passado com a cervejaria carioca, também não menos famosa, a Three Monkeys. Da união dessas empresas amigas nasceu a Brownie Ale, uma combinação entre cerveja e cacau, com precisos toques de lúpulo e chocolate.

Esse ano a união foi retomada e a Brownie Ale voltou. A receita sofreu um pequeno reajuste no novo lote (ela está menos amarga e mais equilibrada) e agora faz parte das cervejas de linha da Three Monkeys, portanto estará sempre disponível nos PDVs que comercializam a marca.



Para aproveitar a semana da Páscoa, kits da cerveja com o Brownie do Luiz estão sendo comercializados em alguns bares e empórios. Segue a lista:

Assis Garrafaria, Laranjeiras
Coliseu Cervejas Especiais, Petrópolis
Bento, Tijuca
BrewCicleta, Centro
Empório Grão e Cia, Ipanema
Fina Cerva, Niterói
Herr Pfeffer, Leblon
Glicerina, Laranjeiras
Armazém São Jorge, Niterói
Mestre-Cervejeiro.com, Barra da Tijuca
Bier en Cultuur, Ipanema




Abaixo seguem minhas impressões sobre a Brownie Ale, do lote 1, que provei ano passado:

Three Monkeys Brownie Ale | 6,2% ABV | American Brown Ale


Aparência marrom e avermelhada contra a luz. Espuma cor bege, média formação e boa estabilidade - caiu devagar e criou rendas. Aroma tostado moderado, notas de amendoim e nozes. Aveia e chocolate ao leite. Final terroso, grãos de café e cacau. Sabor iniciou doce, seguiu com intenso amargor, herbal e picante. Torrado, café e cacau. Corpo médio, carbonatação média-alta. Aftertaste bem seco e amargor persistente.




O brownie consumido com a cerveja "quebrou" o amargor e enalteceu maltes e dulçor, resultando numa boa harmonização.

quarta-feira, 23 de março de 2016

CRISTAL BLUMENAU — Produção artesanal de cristais e lançamento de loja virtual


No mês passado resolvi investir em taças personalizadas com a logo do meu blog, para suprir duas necessidades: ter souvenires para comercialização e oferecer esses utensílios aos clientes - em eventos de degustação e harmonização - evitando gastos com aluguel de taças ou uso de copos plásticos.



A parceria com a Cristal Blumenau veio em ótimo momento. Primeiro porque ela é uma referência no ramo de fabricação artesanal de cristais e segundo pela sua participação no meio cervejeiro. 

A empresa já criou produtos para cervejarias de renome, como a Dum, Bodebrown, Cervejaria Blumenau, O Motim, e várias outras. Até o programa televisivo Cervejantes aderiu aos copos e taças de cristal, utilizados em todos os episódios.

Minha escolha foi pela taça padrão ISO, um modelo muito utilizado em cursos, concursos e degustações de diversos tipos de bebidas. Os protótipos sugeridos pela Cristal Blumenau foram a gravação em branco fosco, criando um aspecto jateado - essa acabou sendo a minha escolha -, e a versão colorida, destacando os tons da minha logo.



Fiquei muito feliz com o resultado, principalmente com a rapidez em todo o processo. A partir do meu aval, eles começaram a produção, depois a etapa de decalque queimado, até o envio para o Rio de Janeiro via transportadora, chegando à minha residência em menos de 30 dias.




Quem quiser conhecer as dependências e saber como é a produção da Cristal Blumenau, pode agendar uma visitação pela manhã, entre às 9h30 e 10h30 - a produção começa bem cedo, às 5h, e às 14h já encerram o expediente. 

Os produtos são feitos um a um de forma artesanal, resultando em verdadeiras obras de arte. Aliás, atualmente estão com escassez de mão de obra na produção de cristais. Esse vídeo da RICTV Record Blumenau explica bem o problema:




Recentemente entrou ao ar a loja virtual da Cristal Blumenau, com vários itens vendidos, como a coleção de copos de estilos de cerveja e de marcas, como a taça da cerveja Double Vienna Brut, da Morada Cia Etílica.



Quem quiser realizar alguma compra, pode usar o meu cupom promocional. É só digitar o código LEBRE, que vai conseguir 10% de desconto. Vale lembrar que o frete é gratuito para compras acima de R$ 100,00.

---

CRISTAL BLUMENAU:
Endereço: Rua Dois de Setembro, 919, Itoupava Norte, Blumenau - SC.

terça-feira, 22 de março de 2016

DEAD DOG AMERICAN IPA - EDIÇÃO ESPECIAL CAFÉ COUTO — Marca de Niterói lança edição especial com café, da sua tradicional American IPA

A cerveja Dead Dog é uma American IPA, portanto o lúpulo exerce um papel importante na sua elaboração. Ela também é uma Single Hop, ou seja, uma única variedade de lúpulo foi utilizada no seu preparo. No caso, o lúpulo que entrou na receita foi o Chinook, de origem norte-americana.

foto: Cecília Marraschi


A marca foi desenvolvida por cervejeiros caseiros da Região Oceânica, de Niterói-RJ, que resolveram transformar o hobby em uma produção profissional, porém mantendo as mesmas características de uma cerveja caseira. A cerveja Dead Dog preza pela qualidade de seus ingredientes e pela seriedade em seu processo de produção.

E o que acontece quando a já tradicional American IPA da Dead Dog é deixada alguns minutos com um punhado de grãos de café? A resposta é: um chope inesquecível e que já se tornou fixo nos eventos em que a Dead Dog participa.

Seguindo a premissa do movimento #BebaLocal, foi utilizado o café selecionado e torrado pelo barista Bruno Couto, que também é de Niterói, ou seja, até o café é da cidade. A grande novidade é que, agora, aquela Dead Dog com café que só era possível encontrar nos eventos, estará disponível nas prateleiras do seu bar preferido.

foto: Cecília Marraschi

A receita da Edição Especial Café Couto é a mesma da Dead Dog American IPA tradicional, com a diferença que ela passa no café antes da etapa do envase da cerveja.

Nas versões chope ou garrafas de 600 ml, a edição especial pode ser encontrada nos melhores estabelecimentos do Rio de Janeiro.

#DeadDogNaVeia

segunda-feira, 21 de março de 2016

CT BRASSERIE — Impressões sobre o Jantar Harmonizado Brasil-Estados Unidos

No dia 15/03 rolou mais uma edição do Jantar Harmonizado, realizada na CT Brasserie do São Conrado Fashion Mall.

Com rótulos do Brasil e Estados Unidos, a seleção das cervejas ficou a cargo do sommelier Pedro Barcellos. Já os pratos quem assinou foi o chef Thomas Troisgros.

Abaixo seguem as descrições do Pedro sobre cada etapa do Jantar Harmonizado, suas intenções e elementos que buscou ao escolher as cervejas:

Prato: Dadinhos de tapioca com foie gras e geleia de jaca
Cerveja: Wäls Bohemia Pilsen | Teor Alcoólico: 5% ABV | Estilo: Bohemian Pilsener | País: Brasil
"O amargor elegante e floral da cerveja vai cortar a gordura do foie gras e da fritura da tapioca. Ao mesmo tempo, o dulçor proveniente do malte - lembrando casca de pão, cereais e em segundo plano o mel - vai se assemelhar com o dulçor do próprio foie gras e da geléia de jaca, que acompanha os dadinhos de tapioca. O resultado é uma entrada mais leve e muito harmoniosa."

foto: Mariana Rezende


Prato: Palmito azedo com beurre blanc de tucupi e azeite verde
Cerveja: Goose Island Sofie | Teor Alcoólico: 6,5% ABV | Estilo: Farmhouse Ale | País: Estados Unidos
"Toda a complexidade, aliada ao sabor cítrico e ácido da cerveja, vai se assemelhar muito com a acidez e o sabor do prato. Ao mesmo tempo também “quebra” a viscosidade da redução do tucupi e a oleosidade do azeite verde, deixando o prato mais saboroso e equilibrado. Nessa harmonização a busca foi pelo equilíbrio entre a acidez, os aromas cítricos e as especiarias, tanto do prato quanto da cerveja."

foto: Mariana Rezende

 
Prato: Leitão crocante com Kimchi
Cerveja: Goose Island IPA | Teor Alcoólico: 5,9% ABV | Estilo: English India Pale Ale | País: Estados Unidos
"Cerveja com um equilíbrio muito grande entre o dulçor proveniente do malte e o amargor médio a alto proveniente dos lúpulos utilizados. Todo esse dulçor vai se assemelhar muito ao adocicado do lombo de porco. O amargor vai quebrar a potência e a gordura tanto da carne quando da pele do porco crocante. A harmonia entre o doce e o amargo vai deixar o kimchi menos ácido e menos apimentado, dando mais equilíbrio e suavizando o prato, apesar da potência dos ingredientes."

foto: Mariana Rezende


Prato: Cordeiro em crosta de açaí e aipim folhado
Cerveja: Wäls Dubbel | Teor Alcoólico: 7,5% ABV | Estilo: Belgian Dubbel | País: Brasil
"Toda a complexidade, estrutura e harmonia da cerveja caminhou lado a lado com a estrutura do prato. O lombo de cordeiro grelhado se assemelhava muito com o sabor frutado e caramelizado da cerveja, ao mesmo tempo em que a crosta de açaí (terrosa) contrastava com o sabor frutado que predominava no prato. O teor alcoólico médio de 7,5% “quebrava” a viscosidade do molho de uvas, a fritura do aipim folhado e limpava o palato, deixando o prato muito saboroso e pedindo uma próxima garfada ou mais um gole na taça." 

foto: Mariana Rezende


Prato: Tartelette de frutas vermelhas com calda de frutas vermelhas
Cerveja: Wäls Quadruppel | Teor Alcoólico: 11% ABV | Estilo: Belgian Quadruppel | País: Brasil
"Na sobremesa buscamos uma semelhança entre o frescor das frutas vermelhas, o sabor e o aroma bem frutado e caramelizado da cerveja. Ao mesmo tempo a “farofa” e o sorvete de framboesa que acompanhavam o tartelette tinham uma acidez muito equilibrada e bem inserida, contrastando com o dulçor mais frutado do prato, deixando ele muito bem equilibrado e saboroso."

foto: Mariana Rezende


Para saber como foram as edições anteriores do Jantar Harmonizado é só clicar aqui, aqui e aqui

terça-feira, 15 de março de 2016

3º CAMPEONATO BRASILEIRO DE SOMMELIER DE CERVEJAS — Desafie-se!

“Desafie-se!”. É com essa frase que o Instituto da Cerveja Brasil vem divulgar o 3º Campeonato Brasileiro de Sommelier de Cervejas. O tema não poderia ter sido mais feliz, pois a motivação para participar do campeonato não deve ser reduzida apenas a sagrar-se o campeão ou em ganhar uma premiação (concordamos que é tentadora a viagem para os Estados Unidos), mas principalmente na oportunidade em se desafiar, se testar e ver em quais aspectos é preciso melhorar para crescer na profissão.



Eu me desafiei em 2014, na 1ª edição do campeonato. Dentre 100 competidores, saí com a 19ª colocação. Na 2ª edição eu me desafiei novamente, mas me preparei mais. Li de cabo a rabo as apostilas de sommelier de cervejas e a de mestre em estilos, além de ler toda literatura e publicação especializada que encontrava pela frente.

Pratiquei bastante o “hora-copo”, bebi os mais variados estilos de cervejas, principalmente os rótulos que são considerados referências por guias de estilos. Os testes cegos foram muito importantes para o aprendizado. Alguns foram às cegas mesmo, pois eventualmente eu degustava a cerveja com os olhos vendados.




Eu não saí do campeonato como o melhor sommelier do Brasil. Saí com um título provisório, de uma competição em que me destaquei NAQUELE momento, dentre AQUELES competidores. E fui sem a pretensão de sair campeão. Meu objetivo era ficar entre os 25 melhores e, com isso, conseguir uma vaga no campeonato mundial. Inesperadamente saí de lá como o campeão brasileiro de 2015.

Portanto você, sommelier ou sommelière, faça a sua história: desafie-se também!



As informações completas sobre o 3º Campeonato Brasileiro de Sommelier de Cervejas, do Instituto da Cerveja Brasil, podem ser tiradas no link abaixo:


segunda-feira, 14 de março de 2016

CT BRASSERIE — Jantar harmonizado Brasil-Estados Unidos

No dia 15 de março (3ª feira), às 20h, na CT Brasserie do São Conrado Fashion Mall, Brasil e Estados Unidos vão dividir a sua mesa.



O sommelier de cerveja Pedro Barcellos vai harmonizar o menu com cinco etapas, criado pelo chef Thomas Troisgros.
 
O valor do menu harmonizado, por pessoa, vai custar R$180,00. As reservas podem ser feitas pelo telefone (21) 3322-1440.




Abaixo seguem as descrições de cada etapa:

Prato: Dadinhos de tapioca com foie gras
Cerveja: Wäls Bohemia Pilsen | Teor Alcoólico: 5% ABV | Estilo: Bohemian Pilsener | País: Brasil

Prato: Palmito azedo com beurre blanc de tucupi
Cerveja: Goose Island Sofie | Teor Alcoólico: 6,5% ABV | Estilo: Farmhouse Ale | País: Estados Unidos

Prato: Leitão crocante com Kimchi
Cerveja: Goose Island IPA | Teor Alcoólico: 5,9% ABV | Estilo: English India Pale Ale | País: Estados Unidos



Prato: Cordeiro em crosta de açaí e aipim folhado
Cerveja: Wäls Dubbel | Teor Alcoólico: 7,5% ABV | Estilo: Belgian Dubbel | País: Brasil

Prato: Tartelette de frutas vermelhas com calda de frutas vermelhas
Cerveja: Wäls Quadruppel | Teor Alcoólico: 11% ABV | Estilo: Belgian Quadruppel | País: Brasil

sábado, 12 de março de 2016

RABISCOS DE PREÁ — Alma

O rabisco de hoje tem o título 'Alma'. Foi escrito no ano de 2012, no Bar Colombo, em Volta Redonda.




Para ver os demais trabalhos de Rabiscos de Preá, é só clicar na página do facebook.

---

Autor:
EDUARDO FREITAS (PREÁ)
Degustador, Sommelier de Cervejas, Mestre em Ciências Sociais e petulante ao ponto de publicar as coisas que rabisca.

sexta-feira, 11 de março de 2016

FESTIVAL BRASILEIRO DA CERVEJA - TASTE BQE — Degustação de raridades no stand da Brooklyn

Na edição de 2016 do Festival Brasileiro da Cerveja, a Brooklyn Brewery apresenta seis estilos de cerveja on tap, além de doze estilos em garrafa.

Dessas 12, quatro rótulos fazem parte da linha BQE - Brooklyn Quartely Experiment, garrafas rolhadas que passam por refermentação na garrafa e maturação em barris de madeira. São produções em lotes únicos, apresentados pela cervejaria em uma média de 4 meses entre um lançamento e outro.




Para que mais pessoas tenham a oportunidade de provar algumas dessas raridades, a Brooklyn vai abrir dois rótulos por dia, para vender a dose de cerveja. Quem orienta a degustação e conta a história da cerveja é a Rafaela Brunetto, embaixadora da marca no Brasil. Confira a programação:

Dia 10:
Às 20h30: Brooklyn K is for Kriek | 10,1% ABV
Belgian Dark Strong Ale com cerejas, Brettanomyces e levedura de champanhe, maturada em dois barris diferentes de bourbon.

Às 22h: Brooklyn Black OPS | 11,6% ABV
Imperial Stout com maturação em barril de bourbon.

Brooklyn Wild Streak 


Dia 11:
Às 20h30: Brooklyn Wild Streak | 10% ABV
Belgian-Inspired Ale maturada em barril de bourbon e refermentada na garrafa com Brettanomyces.

Às 22h: Brooklyn Hand & Seal | 13,3% ABV
English Barley-Wine maturada em barris de bourbon

Brooklyn Hand & Seal 


Dia 12: 
Às 20h30 e às 22h: o consumidor decide qual BQE será degustada!

* degustação para grupos de no mínimo 7 pessoas;
* valor por dose de 100ml: R$ 30


---
Release:
Rafaela Brunetto
BrooklynBrewery.com